Você está em: 180 Selo Fonográfico > Destaques

Destaques

Julio Rizzo & Pata de Elefante chega às plataformas digitais

Com uma trajetória de onze anos, a Pata de Elefante é apontada por muitos como sendo a melhor banda de rock instrumental da música brasileira. Em atividade entre 2002 e 2013, o grupo é sem dúvida um dos nomes mais importantes do rock independente nacional nesse século. Em 2014, cerca de um ano após sua dissolução, o álbum póstumo Julio Rizzo e Pata de Elefante foi lançado em CD.

A Pata de Elefante como um sexteto, na formação que registrou o seu último álbumO quarto título na obra da Pata traz algumas distinções em relação ao restante da discografia. Nesse trabalho, o trio se tornou um sexteto! Julio Rizzo (trombone), Edu Meirelles (baixo) e Luciano Leães (teclados) se uniram ao power trio formado por Daniel Mossmann (guitarra), Gabriel Guedes (guitarra) e Gustavo Telles (bateria) para registrar esse capítulo derradeiro. Trazendo a presença de um trombone em todas as 10 faixas, o título talvez seja o mais diversificado, musicalmente, na carreira da banda.

E finalmente, cerca de um ano após o seu lançamento físico, Julio Rizzo e Pata de Elefante chega em formato digital. O disco está sendo disponibilizado  pelo Selo180 em cerca de 30 plataformas online, entre serviços de streaming e lojas virtuais. Confira a lista com os principais links abaixo e não deixe curtir mais esse patáço!

Julio Rizzo e Pata de Elefante (2014)Julio Rizzo e Pata de Elefante

(Jorginho Maneiro)

Los Marias estreia com Polegar Solitário

A banda Los Marias acaba de inaugurar sua obra com Polegar Solitário, (capa abaixo) seu primeiro single. O quarteto — formado por Ihago Jury (guitarra), Milton Roque (violão e voz), Sergio Jr. (baixo) e Chico Frandoloso (bateria) — lançou na internet o videoclipe da música, produzido pela Film Journée. Já a faixa está chegando a todas as principais lojas online e plataformas digitais através do 180 Selo Fonográfico.

Confira o videoclipe:

Mendigando uma carona (com um single no bolso)

Igual ao personagem da letra, esse é um single solitário. A primeira gravação da banda Los Marias. E eles já oferecem o pacote completo. A faixa está saindo por um selo respeitável. Conta com uma bela capa, feita por uma artista gráfica talentosa. Têm um clipe caprichado, realizado por uma produtora de vídeo gabaritada. Rolou até mesmo showzão de lançamento.

Los Marias - Polegar Solitário (2015)O que faz tanta gente apostar e se engajar nessa canção? O talento dos meninos, o desempenho enquanto instrumentistas, a qualidade do registro, a composição inspirada, a escolha dos timbres, a verdade presente na canção, o resultado final… Ok, eles fazem faculdade de Música, o baterista é o Chico que canta na General Bonimores — uma das bandas mais importantes do rock gaúcho atual, e que desde o início deu suporte à iniciativa da Los Marias —, todos são bons compositores e encaram a banda com seriedade. Em show, mesmo o repertório de covers é consistente e orgânico. Funciona. Revela boas influências e formam um todo coerente.

Mas logo o polegar não será mais solitário, e isso nem chega a ser uma surpresa. Em breve a banda lançará uma nova música, um lado B ou um hit certeiro. Mas esse single inaugural é especial. Aqui que começa a história. É fácil se deixar encantar pela Los Marias com seu Polegar Solitário. O mais legal é estar acompanhando tudo desde o início. E é isso que esse single representa.

Com um polegar estendido, Ihago, Milton, Sérgio e Chico partem numa jornada e não se pode prever até onde eles irão. Mas essa gravação permite testemunhar de onde partiram. Portanto, ouça de novo. E de novo. Guarde a música nos ouvidos, a melodia no coração, e essa imagem: Los Marias partindo. E vamos ver o quão longe eles podem nos levar.

Compre / Baixe / Ouça:

(Luther Blissett)

Confira o primeiro videoclipe de Murilo Sá

Nessa semana, foi lançado Eis que eu tento me entreter, primeiro videoclipe de Murilo Sá & Grande Elenco. Dirigido por Lufe Bollini, a produção mostra o artista em uma viagem freak em um vídeo com estética vaporwave, repleto de referências retrofuturistas oitentista.

Bem humorado, o clipe acerta ao utilizar referências visuais distantes da sonoridade da música, trazendo um novo elemento para a poética urbana multifacetada proposta pelo álbum Sentido Centro (2014), de onde a faixa foi sacada.

A estreia de Eis que eu tento me entreter foi através da coluna/blog Amplificador, do jornal carioca O Globo, que trouxe uma matéria substancial sobre o artista, repleta de fotos.

Rapidamente o videoclipe ganhou destaque na rede, sendo muito elogiado e noticiado por sites como Monkey Buzz, La Parola, O Grito! e Música Pavê. A produção foi referenciada ainda pela coluna Mais Preza do jornal gaúcho Correio do Povo e destacada entre a nova leva de vídeos baianos no site el Cabong.

Na terça (2), o artista promoveu o clipe com uma apresentação ao vivo de uma hora no programa Estúdio Show Livre, veiculado pela internet. Confira:

A faixa Eis que eu tento me entreter integra o elogiadíssimo álbum Sentido Centro, lançado pelo 180 Selo Fonográfico. O título figurou em sete listas dos melhores disco de 2014, levando o artista a realizar uma série de shows no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia e São Paulo. A repercussão foi tamanha que o jornal Estadão chegou a apontar o artista como sendo um dos nomes prestes a estourar em 2015.

Murilo Sá já está produzindo seu próximo videoclipe, enquanto grava um novo álbum. Um EP promocional já deve ser lançado no segundo semestre. O sucessor de Sentido Centro deve chegar no início de 2016.

Compre / Baixe / Ouça:

Acesse também:

(Luther Blissett)

The Galaxies: raridade do rock brasileiro ganha reedição de luxo

O único álbum do grupo The Galaxies, lançado originalmente em 1968, está prestes a ganhar a sua primeira e única reedição oficial. O disco é um dos mais raros do rock brasileiro, sendo procurado por colecionadores de psicodelia sessentista em todo o mundo.

The Galaxies (1968) - LP com encarte [Selo180 - Record Collector 2015]O The Galaxies surgiu no circuito do rock de garagem paulista da década de 1960 com uma formação singular: os brasileiros Zeca de Aquino (bateria), Alcindo Maciel (baixo), a americana Jocelyn Anne Odams (vocal e maracas) e o inglês David Charles Odams (guitarra e vocal). Distanciando-se da Jovem Guarda, o grupo buscava influências em nomes como Yardbirds, Rolling Stones e Animals para alcançar uma sonoridade psych com matizes verdadeiramente tropicais, sendo uma das bandas nacionais mais singulares da época.

Apesar de ter ganho uma versão parcial (com apenas 8 faixas) e pirata em vinil de 10 polegadas no início dos anos 2000, a nova reedição é destinada para colecionadores preciosistas. Além de resgatar o álbum na íntegra, com todas as 12 músicas, conta ainda com duas faixas bônus completamente inéditas, extraídas de um acetato fornecido pelo baterista Zeca de Aquino.

O áudio para o relançamento foi tratado por Arthur Joly e o disco ganhou prensagem de altíssima fidelidade, com corte em DMM (Direct Metal Mastering) no Leste Europeu. A arte de capa e contracapa foram mantidas exatamente iguais a edição original de 1968, para atender aos colecionadores mais exigentes. Completando essa edição limitada (são apenas 500 exemplares), o LP contará com um encarte bilíngue (português/inglês) trazendo a história da banda, o processo de produção da nova versão, além de fotos raras.

Ainda inédito em CD, The Galaxies está sendo relançado numa parceria entre os selos Record Collector Brasil e 180 Selo Fonográfico. O disco deve chegar ao mercado no dia 1º de julho de 2015.

(Rodrigo de Andrade)

Mustache & Os Apaches e os clipes do compacto!

Mustache e Os Apaches - Chuva Ácida (2014) [Compacto - Selo180] CapaA banda Mustache & Os Apaches está preparando o lançamento do seu segundo álbum para 2015. Porém, fazendo a transição entre seus dois discos, o quinteto lançou o sensacional compacto Chuva Ácida / Todo Trem no finalzinho de 2014. A bolachinha em vinil prepara o público para a nova sonoridade do grupo, acrescentando um contorno ainda mais rock ao “vaudeville folk” apresentado em seu disco de estreia, de 2013.

As faixas presentes no disquinho de 7 polegadas e 33 rotações são realmente incríveis! Tanto que ambas mereceram videoclipes sensacionais! Confira as produções abaixo:

Todo Trem

O lado B do compacto foi o primeiro videoclipe a ser lançado. Com o título de Uma noite em Istanbul, é um road movie com registros da passagem da banda pela Europa, em 2013. As imagens são de Luciano Cortaruas e a edição de Juan Tijeras.

Chuva Ácida

Dirigido por Lufe Bollini, com colagens ao estilo Monty Python, é uma animação divertidíssima que brinca com elementos presentes na canção.

Compre / Baixe/ Ouça:

Acesse também:

(Luther Blissett)

Weirdo Fervo: coletânea em vinil reúne artistas bizarros interpretando temas selvagens!

Weirdo Fervo Vol.1 (2015) - Capa [Wildstone - Selo180]O subtítulo já diz tudo: bizarre wild trash garage surf & primitive rock compilation. Organizado pela Wildstone Records, o álbum Weirdo Fervo! reúne 15 bandas e artistas independentes brasileiros em registros explícitos, com sonoridade crua e energia primitiva. São grupos de surf music, garage, psycho-&-rockabilly e homens-banda reunidos num disco que é um verdadeiro mosaico da cena mais frenética do underground  nacional.

Integram a coletânea as bandas Strato Feelings, os SAVAGES, Mary O. and the Pink Flamingos, Reverendo Frankenstein, Mauk & Os Cadilacs Malditos, Kingargoolas, Molho Negro, Movie Star Trash, Horror Deluxe, Bang Bang Babies, Colt Cobra e os one man bands Desgraçado, Thee Undead Big Blues Shit, O Lendário Chucrobillyman e The Amazing Onemanband.

O lançamento aconteceu em vinil e formato digital. Os exemplares em LP analógico são limitados (apenas 500 cópias) e a bolacha não será reeditada! Os discos foram divididos entre as bandas e os selos que deram suporte a Wildstone Records. Ainda, cerca de 100 exemplares estão sendo distribuídos na Europa. Isso fez com que Weirdo Fervo! já estivesse praticamente esgotado logo no lançamento!

Weirdo Fervo Vol.1 (2015) - LP [Wildstone - Selo180]

Weirdo Fervo! foi concebido e organizado pelo agitador (contra)cultural Marky Wildstone, da banda The Dead Rocks. Lançado pela Wildstone Records, contou com suporte dos seguintes selos e periódicos eletrônicos: Selo180, Esta Noite Encarnarei no Teu Compacto, Mumbo Gravações Elétricas, Mandinga Records, Reverb Brasil e Loco A Gogo.

E esse é apenas o primeiro volume! Apesar de ainda não ter data de lançamento, o segundo Weirdo Fervo! já está sendo compilado! Acredite, assim como garante o release oficial do disco, o mundo ainda pode ser mais esquisito do que se imagina!

Ficou curioso? Ouça abaixo o álbum na íntegra via streaming!

Compre / Baixe / Ouça

Weirdo Fervo! também está disponível nas seguintes plataformas digitais:

Acesse também:

(Lester Benga)

El Negro chega em todas as plataformas digitais pelo Selo180

El Negro (2014)Um dos discos mais viscerais do rock brasileiro nessa década é a estreia do El Negro. Com forte influência de hard/blues rock setentista e uma pegada stoner noventona, o trio registrou seu primeiro álbum em apenas dois dias, ao vivo, no interior de uma fábrica abandonada.

A captação, que aproveitou todo o reverb natural do ambiente, foi feita pelo produtor holandês Marcel Van der Zwam. Mixado por Ray-Z, o disco foi masterizado por Jim Diamond, ex-baixista da The Dirtbombs e produtor dos primeiros álbuns do The White Stripes.

O trabalho de rock pesado com espírito de garageiro foi lançado em 2014 através da internet e em forma de CD duplicado pela Panama Discos. O single escolhidos para divulgar o trabalho foi Pé no talo, cujo videoclipe foi registrado no mesmo local em que o álbum foi gravado:

Rapidamente o grupo gaúcho chamou atenção de público e crítica em diversos lugares do país, como Rio de Janeiro e São Paulo. E apesar desse título inaugurar a obra da banda, todos os integrantes do trio já possuem vasta experiência no mundo da música. O vocalista e guitarrista Mumu toca baixo na Vera Loca. O baterista Leandro Schirmer, além de produtor, toca com o ex-Cascavellete Nei Van Soria e no Rodrigo Nassif Quarteto. Já o baixista Fabian Steinert toca na banda Motor City Madness.

Agora, o primeiro trabalho do El Negro chega as mais diversas plataformas digitais em um relançamento do 180 Selo Fonográfico. Você pode ouvir via streaming ou baixar o disco através de download pago em sites e serviços como iTunesSpotifyRdioDeezerGooglePlayAmazon e OneRPM, entre muitos outros.

Ainda nesse ano, o grupo deve ganhar pelo menos dois lançamentos físicos, um em CD e outro em formato analógico, ambos também pelo Selo180. Um prato cheio para que curte música para se ouvir no talo!

(Lester Benga)

Álbum da Severo em Marcha ganha reedição digital

Um dos nomes mais importantes do rock em Porto Alegre no final da última década, a banda Severo em Marcha começa a ter sua obra resgatada em formato digital. O 180 Selo Fonográfico acaba de disponibilizar em uma série de plataformas online o álbum O Tempo É Quando Eu Quero. Lançado originalmente em 2008, esse primeiro trabalho do grupo marcou época na história do rock gaúcho.

Severo em Marcha (foto por Ricardo Lage)

Agora, esse disco pode ser conferido em serviços de streaming e baixado em páginas de download, como iTunes, Spotify, Deezer, Amazon, Google Play, Rdio, OneRPM, entre outros.

Um história pra contar

A Severo em Marcha surgiu das cinzas de outras duas bandas bem atuantes no cenário independente do norte do Rio Grande do Sul: a Rabo de Peixe e a Branco Lareira. Começaram a chamar a atenção na capital gaúcha a partir de uma performance inspirada que foi veiculada num programa de TV local (clique aqui e confira). A música em questão, O tempo é quando eu quero, acabou dando nome ao único álbum do grupo. Em uma época em que o Youtube ainda era uma novidade, o vídeo ajudou a criar uma expectativa em torno do grupo.

Formato precursor

Severo em Marcha - O tempo é quando eu quero (2008)Trazendo um rock pesado, composições marcantes ensaiadas à exaustão e ótimas letras, o disco inovou em uma série de fatores. Primeiramente pelo seu formato: com cerca de 28 minutos e apenas 8 faixas, O Tempo É Quando Eu Quero é quase um EP expandido. Entretanto, sua coesão sonora e conceitual lhe conferem uma indefectível característica de álbum.

O disco foi lançado em um formato singular: o SMD (Semi Metalic Disc), um tipo de CD de baixo custo desenvolvido exclusivamente no Brasil. O álbum vinha encartado em uma revista pôster com fotos, letras, ficha técnica, e que custava apenas R$ 6. O preço acessível aliado ao trabalho constante da banda realizando shows na capital e por todo o interior permitiu que a Severo em Marcha rapidamente conquistasse uma base substancial de fãs.

Produção de luxo

Com uma direção artística invejável, o título contou com uma produção musical de luxo. Cada faixa foi produzida por um nome marcante do cenário musical gaúcho. Estão ali, atuando nos bastidos do disco, Vini Tonello, Ray Z (Júpiter Maçã e, hoje, Phantom Powers), Paulo Arcari (TNT e Tenente Cascavel), Luciano Albo (Cascavelletes), Luciano Leães (Locomotores, Acústicos e Valvulados), Duca Leindeker (Cidadão Quem e Pouca Vogal), Alexandre Birck (Graforréia Xilarmônica), Luciano Dorfman (Engenheiros do Hawaii) e Iuri Freiberger (Tom Bloch e Hard Workin’ Band).

O videoclipe

Quando foi lançado em 2009 o videoclipe de Bad Love (Yes, I Feel A Bad Love), dirigido pelo cubano Juan Zapata, a Severo em Marcha começou a chamar a atenção em nível nacional através da MTV, e especialmente por uma crítica elogiosa do jornalista Lucio Ribeiro (na época, um dos nomes mais respeitados da crítica musical rock no país).

Outro versos

Atento ao espírito do seu tempo, o quarteto resolveu realizar o segundo álbum de uma maneira ímpar: gravariam e uma faixa por vez e trabalhariam cada música individualmente como single. Depois, todas elas seriam reunidas e lançadas como um disco.

Severo em Marcha (foto Ricardo Lage)Assim, lançaram Mudar de ar em 2010 e Você ainda pode ser minha amiga no início de 2011. A primeira, conta com Edu Meireles no baixo, já a segunda com Eduardo Barretto. As duas faixas serão relançadas em formato digital pelo Selo180 em breve.

Aftermath

A banda anunciou um hiato quando o baterista Reynaldo Migliavacca foi estudar na Europa. Rapidamente, todos os integrantes começaram a se dedicar a outros projetos. Ricardo Sabadini toca no Conjunto Bluegrass Portoalegrense, na Ladeira String Band e acompanha outros artistas como Alemão Ronaldo em turnê. Gustavo Chaise toca no Cumbia Libre, Chichadélicos, além dos projetos Chaise Brothers, Cabaré Royal, e acompanha artistas como Wander Wildner. Na Inglaterra, Reynaldo integrou a Charly Coombes & The New Breed. No momento, o baterista está se dedicando a uma nova banda intitulada Lowly Hounds.

Compre/Baixe/Ouça:

(Lester Benga)

Discografia da banda Variantes é relançada em formato digital

Um dos maiores nomes do rock catarinense, a banda Variantes acaba de ter toda sua discografia disponibilizada em formato digital. O (re)lançamento é do 180 Selo Fonográfico, que incluiu a obra do grupo em 30 plataformas online. Os álbuns Variantes (2008) e Com Prazer (2011) haviam sido lançados como CDs independentes e já se encontram esgotados. Agora, voltam a estar disponíveis ao grande público através desses serviços digitais. Já o recente Tudo Acontece (2014) também já foi distribuído nos meios virtuais. Seus exemplares físicos, em CD e vinil, devem ser lançados entre abril e maio de 2015.

Confira abaixo os principais links para ouvir os Variantes no meio digital:

Variantes (2008)Variantes (2008)

Álbum de estreia do grupo, com faixas mais viscerais, contém todos os principais hits que tornaram o trio conhecido no circuito do rock independente no sul do país. Destaque para as faixas Sessão Remember, Quanto você bebe?, O Moderno é o 50tão, E Agora!, e Corrente.

Variantes - Com Prazer (2011)Com Prazer (2011)

 Provavelmente, o melhor álbum dos Variantes! Com um formato mais pop, tem composições mais redondas, timbres caprichadíssimos e um esmero musical acima da média. Conta com as faixas Eu quero tudo, Para, Belladonna, Diziam que e Chegou a hora.

Variantes - Tudo Acontece (2014)Tudo Acontece (2014)

Trabalho mais recente do grupo, e também o mais conciso: são nove faixas. Com uma orientação musical mais voltada ao country rock, soa como uma evolução natural do álbum anterior, com uma sonoridade mais madura. Figurou em 4 listas dos melhores discos de 2014.

(Jorginho Maneiro)

“Tudo Lá” é o novo álbum da banda Gepetos

Gepetos - Tudo Lá (2015)O novo álbum da banda Gepetos Almas Brasucas já se encontra disponível em formato digital na internet. Tudo lá é o segundo disco (capa ao lado) do grupo, que investe em influências de rock nacional da década de 60 e 70, MPB e rock progressivo. O trabalho conta com 7 faixas, incluindo a faixa título que beira os 20 minutos.

Com lançamento pelo 180 Selo Fonográfico, Tudo lá ganhará edição física em vinil analógico ainda no primeiro semestre de 2015. Confira abaixo a lista de lojas digitais e serviços de streaming em que o álbum já se encontra disponível.

Compre/Baixe/Ouça:

(Jorginho Maneiro)