Você está em: 180 Selo Fonográfico > Notícias

Notícias

Yanto Laitano lança single que antecede seu novo disco

Yanto Laitano - CamaradaCom show de lançamento marcado para o dia 28/6, a música Camarada pode ser conferida nas plataformas digitais.

“Ah, meu camarada, essa louca estrada, aonde vai nos levar?” É sobre a conversa de dois amigos em uma mesa de bar que fala o novo single de Yanto Laitano (capa ao lado). Com show de lançamento marcado para o dia 28 de junho na sala Álvaro Moreyra, às 20h, Camarada já está disponível nas principais plataformas digitais. O single foi gravado no Estúdio IAPI por Yanto Laitano (voz e órgão Hammond), Filipe Narcizo (baixo e vocais), Beto Chedid (guitarras, violões e vocais) e Pedro Petracco (bateria), com produção de Vicente Guedes, Beto Chedid e do próprio Yanto Laitano. Na apresentação, quem assume bateria e também vocais é Fábio “Musklinho” Ly.

O lançamento da canção marca o início da venda antecipada de Yantux — próximo disco de Yanto que será lançado em setembro pelo Selo180. Na forma de um ticket impresso em papel — que lembra um bilhete para uma passagem de trem (ou seria de disco voador?) —, o bônus custará R$25 e deverá ser trocado pelo disco em uma série de pontos de troca, listados no próprio bilhete. Além do local do show, é possível garantir o bônus no site do Selo180 e nas seguintes lojas em Porto Alegre: Boca do Disco (Rua Marechal Floriano, 474), Classic Rock, Regentag e Toca do Disco (Rua Garibaldi, 1043).

Sobre Yantux

Yanto Laitano (foto Raul Krebs) 3Trata-se de um álbum conceitual que conta uma estória de amores e desamores de Yantux, personagem criado a partir do alter ego do compositor. Ao todo, o disco tem 11 canções e 7 vinhetas conectadas de maneira a desenvolver uma narrativa com início, meio e fim; diferentes ambientes (criados por sonoplastia); e uma série de personagens que são interpretados por importantes músicos e atrizes da cena gaúcha.

Ficha técnica:

Yanto Laitano (voz e órgão Hammond)
Filipe Narcizo (baixo e vocais),
Beto Chedid (guitarras, violões e vocais)
Pedro Petracco (bateria)

Produzido por Vicente Guedes, Beto Chedid e Yanto Laitano
Gravado no Estúdio IAPI por Vicente Guedes
Mixado no Estúdio Dreher por Thomas Dreher
Masterizado por Marcos Abreu
Arte: Léo Lage

Links para as plataformas digitais:

Revelação neo indie, Ojo assina contrato de lançamento com o Selo180

No meio da pilha de bandas, ter ouvidos, olhos afiados e sensibilidade para reconhecer o brilho de um verdadeiro diamante bruto é a principal característica que um produtor fonográfico deve ter. E, ao longo dos anos, o pessoal do Selo180 já demonstrou uma série de vezes possuir esses atributos.

banda-ojoA nova contratação do cast é a banda Ojo. Revelação do neo indie nacional, o trio terá seu single de estreia lançado em todas as principais plataformas de streaming na segunda quinzena de novembro. Para o início de dezembro, acontecerá o show de estreia banda. Na ocasião, o primeiro título da discografia do grupo estará ganhando lançamento físico no formato mais hype do momento: a fita cassete.

O evento será registrado para lançamento em DVD, com direção de Roberto Panarotto — da banda Repolho, um dos nomes mais importantes da história do rock independente brasileiro. O filme contará com distribuição em todo o país por uma grande gravadora.

Com lirismo ímpar e uma sonoridade que vai além do indie e do post-rock, Ojo aponta uma nova rota inédita para música jovem (de temática madura) no cenário brasileiro.

(Edson Bini)

Murilo Sá & Grande Elenco lança crowdfunding para novo disco

Murilo Sá e Grande Elenco - Durango! (2016)Durango! (capa ao lado) é o segundo álbum de Murilo Sá & Grande Elenco. O título conta com 12 faixas que já foram gravadas, mixadas e masterizadas. O artista agora está lançando uma campanha de financiamento coletivo para garantir a produção dos exemplares físicos, além de um trabalho de assessoria de imprensa para promoção do título.

O crowdfunding é realizado através da plataforma Catarse (confira o vídeo abaixo), e o público pode colaborar e escolher suas recompensas acessando o endereço http://catarse.me/durango. Entre as recompensas, além de Durango! em CD e K7, há o download antecipado do disco, o disco de estreia Sentido Centro em CD e K7 (ainda inédito nesse formato), camisetas, shows e até mesmo as demos dos álbuns.

Murilo Sá lançou seu primeiro álbum em 2014, acompanhado por um “Grande Elenco” de amigos (uma banda mutante, que se metamorfoseia a cada gravação). Sentido Centro chegou a emplacar em 7 listas de melhores do ano, consagrando o autor como o principal artista revelação do rock naquela safra.

Em 2015, ele se apresentou do Rio Grande do Sul até a Bahia e lançou dois videoclipes: Eis que tento me entreter e a e Dois Mundos, faixa que abre o álbum Sentido Centro. Logo no início do ano, o jornal Estadão destacou Murilo Sá como sendo um artista “prestes a estourar”. Durango! é tudo o que falta para concretizar essa profecia.

Compre / Baixe / Ouça:

Acesse também:

(Luther Blissett)

Suco Elétrico lança “Se o futuro permitir”

Suco Elétrico - Se o Futuro Permitir (2016)Se o futuro permitir é o título do novo álbum da banda Suco Elétrico. Com 10 faixas, o disco está sendo disponibilizado em formato digital em todas as principais plataformas (Spotify, Deezer, Apple/iTunes, Google Play, etc). Em formato físico, o CD já pode ser adquirido no site do Selo180. O álbum ganhará ainda uma prensagem em vinil, prevista para agosto. No dia 15 de julho, o Suco Elétrico faz um show especial de lançamento no Teatro do SESC, em Porto Alegre, como parte das comemorações da Semana do Rock.

Realizado através de uma campanha bem-sucedida de financiamento coletivo, Se o futuro permitir foi gestado por mais de dois anos, entre ensaios e sessões de estúdio. A produção musical é de Marcelo Fruet, enquanto o visual ficou por conta do designer Indio San. O álbum foi antecipado pelo videoclipe Canção do Futuro. Com influências de stoner e hard rock, o disco traz uma reinvenção do Suco Elétrico.

Na ativa a mais de 15 anos na cena rock do Rio Grande do Sul, o Suco Elétrico se encontra em seu melhor momento, com um trabalho promissor e a possibilidade de se firmar como um dos principais nomes do rock gaúcho em 2016.

Confira Se o futuro permitir nas plataformas digitais através dos links abaixo:

(Rodrigo de Andrade)

Gepetos Almas Brasucas lança “Ao Vivo?”

Gepetos Almas Brasucas - Ao VivoA banda Gepetos Almas Brasucas lança hoje (13) Ao Vivo? (capa ao lado), seu terceiro álbum. O disco é o primeiro a ganhar lançamento exclusivamente digital, estando disponível em todas as principais plataformas de streaming e lojas online.

O título registra uma apresentação do quarteto no palco do Teatro do SESC de Passo Fundo, gravado no dia 26 de junho de 2015. Entretanto, não havia plateia presente. O happening serviu como um ensaio “valendo”, em que o grupo executou faixas dos seus dois álbuns de estúdio: o disco de estreia, homônimo (2013), e Tudo Lá (2015).

O vídeo do show (abaixo) já havia sido disponibilizado no Youtube no final de 2015.

Fortemente influenciado pelo rock brasileiro da década de 70, os Gepetos são um dos principais nomes do rock progressivo nacional contemporâneo, sendo atração de destaque em diversos festivais nos últimos anos, como o Psicodália e o Morrostock.

A banda realiza show de lançamento do Ao Vivo? no Teatro Municipal Mucio de Castro, às 20h.

Compre/Baixe/Ouça:

(Lester Benga)

General BoniMores lança campanha de financiamento coletivo

Em março, a banda General BoniMores colocou no ar a campanha de financiamento coletivo do seu próximo álbum, intitulado II. Ao participar, o público tem a oportunidade de garantir diversas recompensas, incluindo CDs, fitas K7, compactos em vinil, camisetas e muito mais.

O quinteto está finalizando as sessões do disco que já vem sendo registrado faz vários meses. A produção está sendo feita sob o comando de nomes de peso, como Ray Z, que já trabalhou com Júpiter Maçã e Variantes, e Marcelo Fruet, produtor do elogiado álbum da banda Dingo Bells. Para conseguir a sonoridade que desejam, os BoniMores estão fazendo uma verdadeira peregrinação pelos melhores estúdios do Rio Grande do Sul. O lançamento está programado para o segundo semestre.

As recompensas

Recompensas para a campanha de Financiamento Coletivo da banda General BoniMoresCom recompensas a partir de R$ 15, os participantes do crowdfunding podem escolher diversos itens, alguns exclusivos apenas para aqueles que colaborarem com a campanha. Um deles é a edição limitada e numerada do primeiro disco da banda em formato fita cassete. Outra recompensa que chama atenção é a Epiphone Wildkat Royale, guitarra utilizada durante as gravações de II.

Mais um destaque é o novo compacto em vinil do grupo — o segundo de sua discografia — com duas faixas exclusivas que não estarão presentes nos discos. Há também um box em edição limitadíssima (apenas 10 unidades) contendo a discografia completa do grupo em todos os formatos existentes (compacto em vinil, fitas K7 e CDs), camiseta, pôster e certificado de autenticidade numerado e assinado.

Como participar

A campanha acontece até o dia 20 de maio através do Catarse, a plataforma de financiamento coletivo mais segura e conhecida do público brasileiro. As colaborações podem ser feitas através de boleto ou cartão.

Para conferir, basta acessar a página abaixo, escolhendo uma ou mais recompensas:

General BoniMores II no Catarse: http://catarse.me/bonimores

A banda

Surgidos no promissor cenário roqueiro do Rio Grande do Sul no ano de 2010, a General BoniMores imediatamente chamou a atenção do público com um impressionante hit de repercussão local: a canção Dia Feliz. O sucesso desse single de estreia os levou a prosseguir e registrar o primeiro disco, homônimo.

General BoniMores - Finalização do disco II

Na sequência, tiveram um compacto em vinil lançado pelo Selo180 e logo foram os vencedores do 1º Samsung E-Festival. Já tocaram com Gilberto Gil e abriram shows de bandas como Paralamas do Sucesso, Maria Rita, Cachorro Grande, Erasmo Carlos, entre outras. Lançaram singles e videoclipes sensacionais, das canções Dia Feliz, Chance e Vintém. Recentemente, participaram de um grande tributo a vida e obra de Júpiter Maçã, sendo a única banda novata em meio aos maiores nomes do rock gaúcho e nacional.

(Luther Blissett)

Disco de estreia dos “Gepetos” chega em formato digital

O primeiro álbum da banda Gepetos Almas Brasucas havia sido lançado apenas em vinil, em 2013, pelo selo Café com Leite. Agora, pela primeira vez, esse álbum está disponível em formato digital, com distribuição em todas as principais plataformas online, através do Selo180.

Fortemente influenciado pelo rock brasileiro da década de 70, os Gepetos são um dos principais nomes do rock progressivo nacional contemporâneo. Eles já lançaram dois álbuns de estúdios — homônio (2013) e Tudo Lá (2015), ambos em vinil e agora também em formato digital — e foram atração de destaque em diversos festivais nos últimos anos, como o Psicodália e o Morrostock.

Clique nos links abaixo para conferir Gepetos Almas Brasucas (2013) em formato digital:

(Lester Benga)

Conheça “Foda!”, a estreia axé punk de Valciãn Calixto

Valciãn Calixto - Foda (2016)O cantor e compositor piauiense, Valciãn Calixto, lança nesta quarta-feira (23) seu primeiro disco solo, intitulado Foda! (capa ao lado), com dez faixas de poesia lamurienta e imbricações rítmicas, aliando a agressividade do rock com formas melodiosas do axé e swingueira numa denominação cunhada pelo próprio artista de “Axé Punk”, variante do Afropunk.

Com o debut, o músico visita o Experimental, a Marcha-Rancho, o Space Rock, a Jovem Guarda e faz uso do Spoken Word para dar vazão às suas lamúrias. O disco conta com participações de integrantes da Geração TrisTherezina (coletivo de Artistas Visuais, Escritores e Músicos do Piauí) e foi gravado no ATM Estúdio, tendo sido mixado por Arthur Raulino. Quem assume as baquetas é Marciano Calixto, irmão de Valciãn, que gravou todos os instrumentos de harmonia como baixo, guitarras, sintetizadores, teclados e violão.

Tal qual o livro de poesias Reminiscências do caseiro Genival, lançado pelo artista em 2015, o disco aborda temas como suicídio, assédio, abuso de autoridade, loucura, assuntos que ora são tabus, ora são tristes estatísticas em uma cidade como Teresina que sofre o paradoxo do desenvolvimento urbano versus o provincianismo moral em todas as camadas sociais.

Valciãn CalixtoAs gravações para o álbum tiveram início ainda em setembro de 2015 e foram finalizadas em fevereiro deste ano. A palavra “foda”, que dá nome ao disco ganha, entre outros, valores positivos e negativos com esse lançamento, tendo em vista as dificuldades para se produzir e lançar, fazer a música circular, criar público bem como a superação de todos esses e outros limites, artísticos ou estruturais, realizando aquilo que se acredita sem fazer concessões que comprometam a qualidade da obra. Isso fica claro citando versos de uma das faixas do próprio disco de Valciãn, onde o músico canta como numa espécie de mantra a frase “nunca entregar os pontos”.

Em síntese, o título do disco resume toda a evolução e batalha de um compositor piauiense para colocar sua música no cenário musical independente do Brasil, de alguém que cresceu em meio a um abismo cultural sem medida em Teresina no Piauí e que do fundo do abismo ensaia um salto com esse disco.

Foda! ganha lançamento em cerca de 30 plataformas digitais pelo 180 Selo Fonográfico, incluindo todas principais lojas online e serviços de streaming, como iTunes, Spotify, Deezer, Google Play, Tidal, Amazon, entre outros. O disco também está disponível para download grátis no site oficial do artista e no bandcamp.

Confira abaixo a lista de links com Foda! disponível:

(Luther Blissett)

“When I Still Smoked” é o segundo disco do Song and Dance Men

Sond and Dance Men - When I Still Smoked (2015)O quarteto de rock alternativo Song and Dance Men lançou recentemente When I Still Smoked, seu segundo álbum. Com uma sonoridade calcada no folk e country rock indie, o disco traz influências de Big Star, Wilco e Violent Femmes. São 11 faixas que totalizam 55 minutos.

When I Still Smoked foi lançado em formato digital e em CD, numa parceria entre Wildstone Productions, The Blog That Celebrates Itself e 180 Selo Fonográfico. Em formato físico, você pode adquirir um exemplar na loja online do Selo180.

Para dar uma sacada no som, acesse os links abaixo:

(Lester Benga)

A estreia dos Fantasmas de Preto

Quem são eles? Ocultos nas sombras, os Fantasmas de Preto podem ser quem você menos espera. O vizinho, o porteiro, o motorista do táxi, o transeunte anônimo que cruza por você na rua. O encarte do CD de estreia, recém-lançado, também não revela muitas pistas. Não há fotos da banda! Seria uma reunião de super astros do rock tentando pregar uma surpresa no público? Ou talvez testando a própria habilidade de conseguir emplacar um hit sem o respaldo do nome já consagrado? A verdade é quase isso.

CD_Fantasma_curvas_reordenado.cdr

CD_Fantasma_curvas_reordenado.cdr

Fantasmas de Preto é o projeto paralelo de Paulo Roberto Reichert. Guitarrista, vocalista e compositor da banda PRR — que já possui 3 discos lançados: Reminiscências (2011), Odisséia (2012) e Meridianos (2015) —, no Fantasmas de Preto ele não procura ficar no centro dos holofotes. Apesar de ter composto todas as 10 faixas, nesse álbum Paulo R. Reichert não toca nenhum instrumento. Dessa vez, ele apenas assume os vocais principais.

Para conduzir musicalmente a obra, ele se vale do talento de um grupo primoroso, formado por alguns dos músicos de estúdio e produtores mais gabaritados e requisitados do Rio Grande do Sul. Entre os destaques do Fantasmas de Preto, estão o guitarrista Rodrigo Schier, o baixista Álvaro Luthi e o tecladista e produtor Michael Corrêa.

Ainda que as composições remetam ao trabalho de Paulo R. Reichert com a banda PRR — vida conjugal, crítica social, solidão e o próprio rock’n’roll — a roupagem aqui é diferente. Ainda que as influências sejam as de sempre — como os Beatles e os Rolling Stones, a Jovem Guarda, o Rock Gaúcho e o Rock nacional e planetário da década de 80 —, o fato é que os Fantasmas de Preto possuem uma sonoridade muito mais contemporânea. Com produção esmerada, os estilos musicais desfilados flertam em diversos momentos com gêneros análogos ao rock, como o blues e funk setentista.

Há duas faixas de trabalho: Perdido, com destaque para os vocais rasgados de Paulo e da cantora Andreia Cavaleiro, e Um cara sozinho, com seu teclado sixtie de abertura e letra filosófica. Entretanto, o disco é recheado de diversos momentos inspiradíssimos. Vida de Casado abre o disco com um riff certeiro. Os vocais femininos também são especialmente marcantes na faixa seguinte, Sem Dinheiro. Possivelmente um terceiro single do álbum, a faixa trata de questões cotidianas de uma forma que apenas o rock poderia fazer. Em O rock-and-roll é meu país, a guitarra de abertura remete ao clássico Revolution dos Beatles, enquanto a letra quebra com o tradicional clichê do roqueiro estereotipado.

Fantasmas de Preto tem tudo para surpreender o público. Um trabalho com produção impecável e com qualidade irrepreensível. O disco foi lançado de maneira independente pelo grupo e ganha distribuição digital pelo Selo180. Confira abaixo os links:

(Luther Blissett)